Markulus

4 e 5 Jul / 21h – Recantos Performativos

Nascido sem propósito, Markulus é fruto da sua própria invenção. Carne a cristalizar imagem, pose a citar género, voz sem ousar transformismo. É real. É estático. Joga com a audiência. Forjado na mais poderosa das criaturas originais (o masculino feminino) Markulus decide a sua própria reinvenção. É mito. Dança. Evoca os deuses.

Markulus ordena. Debaixo da língua, uma única palavra que não quer pronunciar: M-A-S-C-U-L-I-N-I-D-A-D-E. Teme o reflexo, procura o adereço. Desfaz. Enfrenta o espelho, dispensa a fantasia. Constrói. Se a performatividade que experimenta em palco não é uma ficção de si próprio, então a humanidade que lhe vemos a nu é real. Um dueto-ensaio de Ricardo Machado a partir de Mark Diston, Mia Distonia e Masculinidades.

Lotação limitada. Levantamento de senhas no próprio dia no balcão de informações das 18h às 20h30

Direção, conceito e espaço cénico: Ricardo Machado; Criação e interpretação: Mia Distonia e Ricardo Machado; Olhar externo e criação: Costanza Givone; Textos: Mia Distonia; Desenho de luz: Cláudia Batista Valente; Música: Claude Debussy, David Lang, Giovanni Battista Pergolesi e Sandoz; Apoio à construção musical: Pedro Salvador; Apoio à cenografia: Coletivo Monte; Produção: Ricardo Machado; Apoio à produção: Catarina Alfaia; Coprodução: Outro Vento, Circolando, Centro de Artes de Ovar e Largo Residências; Apoios: O Espaço do Tempo e Fundação GDA; Entidade Promotora: LARGO Residências