Acções Performativas Lixo-Luxo

O projecto LIXO-LUXO vai agora na 2ª edição. Depois de, em 2018, ter lançado o desafio a artistas plásticos, Susana Alves, convida agora artistas das linguagens performativas para reflectirem sobre a ténue fronteira entre estes dois extremos (lixo-luxo) e, a partir daqui, criarem um momento performativo que convide o público a reflectir também, enquanto usufrui da sua obra. O mesmo ponto de partida, inumeros caminhos, diferentes resultados artísticos: um concerto de Fernando Mota + Rui Rebelo e duas performances: Joana Pupo + À Carta e Susana Alves + À Carta.

7 Jul / 19h

Fernando Mota e Rui Rebelo aceitaram o desafio de pensar o conceito LIXO-LUXO através de uma leitura sonora. Criaram uma performance musical que nos faz viajar na reflexão sobre a poluição sonora desta Lisboa em transformação, sobre o espaço público enquanto composição musical espontânea, ao mesmo tempo que conseguem transformar essa sonoridade de lixo em música de luxo.  

14 Jul / 19h

Uma residência juntou Joana Pupo e o projecto À Carta para pensarem o conceito LIXO-LUXO. Surgiu uma proposta provocadora, que vem perverter os valores atuais da “nossa polis”. O espectador é convidado a participar ou, simplesmente, a cair na armadilha da fruição. Uma performance que aposta na ironia e onde recantos do Largo do Intendente se transformam em detonadores de acções. Quem ganha é quem perde, quem perde é quem ganha.

20 Jul / 19h

O conceito de menús performativos site-specific dos À carta aceitaram abraçar o conceito Lixo-Luxo de Susana Alves. Numa proposta multidisciplinar, dão corpos e voz a um jogo que pretende provocar o público, questionando a situação sócio-cultural atual do Largo do Intendente e da cidade de Lisboa que, nesta vertigem de querer parecer, se vai esquecendo do que foi!

+ Instagram Lixo Luxo